NOVIDADES

♥ Anuncie aqui! Fale conosco!

AGOSTO DOURADO: Proteção ao Aleitamento Materno, qual a sua importância?

O Brasil é um dos países com a legislação mais avançada em relação à proteção do aleitamento materno e ao direito da criança à amamentação nos seis primeiros meses, exclusivamente no peito materno, e até dois anos ou mais com a adição de outros alimentos líquidos e sólidos.

Esse amparo baseia-se na Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de 1ª Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras (NBCAL) e a Lei N. 11.265, que regulamenta a comercialização de alimentos para lactentes e crianças de primeira infância e também a de produtos de puericultura correlatos, baseado na NBCAL.

Essa proteção legal é de extrema importância uma vez que as crianças mesmo antes do nascimento são consideradas um “consumidor em potencial”, e como sabemos a amamentação para o bebê é fundamental para sua saúde e seu desenvolvimento principalmente nos primeiros anos de vida, esses mecanismos estão cada vez mais sendo desenvolvidos e todos os profissionais que promovem o aleitamento materno são essenciais na fiscalização e manutenção dessas normas.

A orientação da Organização Mundial da Saúde é que o aleitamento materno seja mantido exclusivo até os primeiros seis meses de vida e após a introdução gradual de forma saudável e orientada para cada bebê seguindo com o aleitamento de forma complementar até no mínimo os dois anos de vida do bebê.

Porém os apelos de marketing ainda na primeira infância são conduzidos de forma catastrófica aos pais e com poder de indução de compra por criarem expectativas ilusórias de alívio da dor, redução do choro, silenciadores de bebês, e tantas outras aberrações que estão estampadas nas embalagens dos produtos, inclusive os enganadores que se intitulam de “substitutos do leite materno”. Ora que absurdo, não há fórmula enlatada com potencial de comparação ao leite materno.

A indução do uso de chupetas e mamadeiras são extremamente prejudiciais à saúde das crianças, além de deformar a arcada dentária, favorecem a proliferação de germes e bactérias, com o agravante de fazer a famosa e temida confusão de bicos, o que dificulta a produção de leite, a correta sucção do bebê e a possibilidade real de um desmame precoce.

Estarmos atentos a esses e tantos apelos de marketing que apresentam “soluções” para a amamentação como se amamentar fosse um problema mesmo antes de acontecer é sim PROTEGER a amamentação e conseqüentemente a manutenção de uma vida saudável para o seu filho, é fazer uma escolha consciente, sustentável e muito generosa com você e com o seu bebê.

Se algum percalço no inicio desse processo acontecer, ou se mesmo na gestação você tiver muitas duvidas em relação à amamentação, busque ajuda de uma consultora em amamentação, onde você encontrará antes de tudo, apoio, acolhimento, respeito e conhecimento baseado em evidencias científicas que são conduzidas da melhor forma possível para atender você e seu bebê.

Não fique só, nesse universo de mulheres que amamentam, venha conversar, estarei aqui te esperando.

 

Escrito por:

Cristiane Alves Santos, Enfermeira e Idealizadora da Maternité -Assistência Materno Infantil e mamãe da Clarinha! <3

 

Fotografia: Thiago Silva